Optimised for Internet Explorer 8.x/9.x, Mozilla Firefox 3.x/4.x, Google Chrome 4.x/10.x, Safari 4.x and Opera 9.x/10.x/11.x with a resolution of 1280x1024px minimum.
Flag Flag Flag Flag Flag Flag Flag Flag Flag Flag Maximize/Restore Size
English Deutsch Български Suomi Deutsch Magyar Português Slovenčina Español Türkçe
KIDS STRENGTHS - As Crianças em Contextos de famílias com vulnerabilidade de saúde mental
Desenvolvimento de Competências que Corresponsabilizem Professores, Profissionais de Saúde e de Serviço Social
KIDS STRENGHTS promove processos de resiliência em crianças e adolescentes no contexto da doença dos pais com vulnerabilidade de saúde mental.

O entendemos por "resiliência"?

Espera-se que crianças resilientes se adaptem com sucesso, embora estas experienciem factores de risco que dificultam o seu desenvolvimento. A Resiliência pode ser descrita através de:
  1. bons resultados independentemente dos factores de alto risco,
  2. demonstração consistente de competências sob stress, e
  3. capacidade de recuperação da situação traumática. (Vgl. Masten et al. 1990)

Por que é que consideramos preferível utilizar o termo "vulnerabilidade de saúde mental" ?
Quando trabalhamos com os pais, usamos este termo pois a atribuição de uma " doença mental" para pais está geralmente associada a um elevado estigma que provoca principalmente o medo, a raiva ou a negação.

O termo vulnerabilidade de saúde mental é menos estigmatizante, mais facilmente aceite pelo elemento da família doente e mais compreensível para a criança: Do mesmo modo é mais fácil para as crianças entenderem que os pais podem não estarem a sentir-se bem e que, por exemplo, podem sentir-se com menos energia por se terem magoado, num acidente e, consequentemente estão mais sensíveis.

No âmbito do projecto KIDS STRENGTHS o termo "vulnerabilidade" (Zubin 1977) abrange as alterações emocionais, cognitivas, sociais e comportamentais e perturbações, que por vezes se tornam critérios de diagnóstico de uma doença mental. (Pretis & Dimova 2004, 37f.)

Referências:
Kessler et al. (2005). Severity, and comorbidity of twelve-month DSM-IV disorders in the National Comorbidity Survey Replication (NCS-R). Archives of General Psychiatry; 62(6):617-27).
Küchenhoff, B. (2001). Kinder psychisch kranker Eltern. Psychiatrie, 2, 1-4.
Masten, A.S., Best, K.M., Garmezy, N. (1990). Resilience and development: Contributions from the study of children who overcome adversity. Development and Psychopathology, 2, 425-444.
Pretis M., Dimova, A. (2004). Frühförderung mit Kindern psychisch kranker Eltern. München: Reinhardt.
Ramchandani, Stein (2003). The impact of parental psychiatric disorder on children. Avoiding stigma, improving care. BMJ, 2; 327(7409): 242–243.
Zubin, J., Spring B. (1977). Vulnerability – A new view of schizophrenia. Journal of Abnormal Psychology, 86. No.2, 103-124.

Contacto
Dr. Manfred Pretis
S.I.N.N Sozial INnovatives Netz
Lerchengasse 4c, A-8054 GRAZ
Phone/Fax: +43 316/251699
Mob: +43 699/12652070
http://www.sinn-evaluation.at
Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. Furthermore this project has been funded by the Austrian ministery for education, arts and culture (BMUKK). © 2009-2018 by KIDS STRENGTHS Project
A informação contida nesta publicação vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão responsável pela utilização que dela possa ser feita. powered by